Estúdio Multimidia no Centro do Comércio de Belém

Últimas

Coração de ferro.


Destruição, desterro, desapego, desalma, desnudo, deformação do espaco, do tempo, da vida, assim o corpo serve de maquina, e a casa de recarga, informação eletrica passa pelos cabos no interior do nosso corpo, assim a transformação acontece, isso ja esta claro e velho, cada maquina faz sua função e cada homem é guiado pelo seu coração metálico e reluzente. E por que da um aperto e um medo? mesmo ja sabendo o fim da estória. Ai que se resume a palavra transformação, o dia escurece e o certo nao tem nada de concreto, o tempo fica confuso e se perde, eu me perco e acabo no mesmo lugar, em mim. Ai se ganha o presente da vida, e tudo que um dia começou a me confundir acaba se tornando meu farol ai fica facil sentir a Terra em transformação sei que a terra de um homem é sua alma e sua casa seu corpo, e o que é para dizer? Transforme, transgressa, transporte-se, transplante-se, transfigure e deixe sua casa desarrumada vai aliviar o peso de todos os acertos é isso que vem atrasando o mundo, o medo de errar, de se expor. Melhor mesmo é rir de voce mesmo. Hoje é dia de comemorar o atraso, o erro, a fraqueza, o choro, o orgulho e a incerteza.

Viva o Ser Humano

 

 

Foto de Renato Reis

Texto de Léo Chermont

Ela ganhou a chave…..

Casarão cultural, minha família também. 

Toda família e comunidade tem seus fortes e fracos. Faz parte da vida humana essa polaridade. Somos todos um e temos no outro o nosso maior espelho.  Quando nas desavenças batemos de cara com essa sombra,  ficamos putos da vida, abatidos, enfezados e enfermos. Não nos conformamos com esse reflexo.  Não entendemos esse movimento, daí vem o maldito complexo de superioridade pra atravancar todo o processo. A sensação de poder que corrompe, nos cega. Perde-se o fio da meada.  Só o amor, a amizade e a comunicação verdadeira podem trazer compreensão e clareza a ânimos afetados por julgamentos e preconceitos, a corpos engessados e mentes manipuladas.  As relações apenas virtuais podem ser extremamente nocivas e maléficas. Qualquer  um sabe disso. Qualquer um sabe que comunicação por e mail não serve pra assuntos profundos e cósmicos. Qualquer um sabe que no outro há tudo que há em vc e quando apontamos o dedo esquecemos que temos 3 em nossa direção. Todo mundo sabe disso mas esquece, e a fúria toma conta como verdade absoluta.  Os egos se inflamam.
Digo tudo isso pq sou sensível ao astral de todos os lugares por onde passo nesse minha vida. Tenho muitas famílias pelo Brasil e já passei por algumas situações de desconforto humano e social. Descobri uma coisa: Só a verdadeira comunicação é o que vale. O Papo limpo, tete a tete. OLho no Olho.
Fico muito feliz pq encontrei isso aqui com todos os meninos do casarão cultural.
O Samir é uma pessoa iluminada e Lúcida e agradeço a ele por toda gentileza e amorosidade dispensada.
O Jorge é forte, autêntico e muito confiável. O Léo é doce, amável e muito alto astral. O Thiago é determinado, enjoado e sorridente. O Cardoso é guerreiro, sincero e verdadeiro, um apaixonado pelo que faz.   O Mike é o nosso super man estelar, puro e leal. O Renato tem a força de um orixá e a serenidade de Um Rei. O Juca é o gordinho mais massa, talentoso e ponta firme do Pará!
Cito esses que fiquei mais próxima, mas todos eles, o Arthur, o Felipe, o Calibre, todos e desculpe se eu esqueci de alguém, são gente pra caralho!!!  Com seus defeitos e qualidades. Gente que faz, que sonha, que erra, que acerta, que vive pela arte e pela natureza.  Merecem meu amor e meu respeito eterno, pq são verdadeiros cavalheiros da távola redonda do casarão cultural. Obrigada Por tudo meus amores, vou partir com os olhos rasos d’água e o coração transbordando de amor e respeito .Sonhando com a volta.
Se compararmos nossas diferenças, veremos que são ínfimas perto das nossas semelhanças. Já dizia o velho deitado.

Postado por Andréia Dias
Foto Renato Reis

Nada é tao simples o quanto tu pensa…

Casarão, Casa Grande de amor, de irmãos loucos que se reuniram para tentar uma vida melhor nesse mundo trash que nos rodeia, gente se enganando, se achando, se sabotando, e os que tem a vida cheia de SE por favor não entrem por essa porta. Aqui a luta é pela paz diária, olho no olho, preto no branco na fartura e na lisura, a transferencia de energia é do palco pro publico é abrir as janelas do corpo e se entregar para a arte e tentar fazer um mundo mais interessante. Aqui cabe sorriso, calmaria, entendimento, e o melhor a busca por um sol a cada dia, todo mundo sabe que é bem difícil ter essa vida de sonhos acordado, mas acho que essa é a grande diversão da vida. Não importa onde vamos chegar. Casarão com 7 anos de vida já tem seu clima, já expulsou muito malaco metido a pop star. Respeito a cima de tudo pela união dos Irmaos, Familia nao é so sangue é afinidade…

Vamo nessa.

Floresta Sonora.


Entre a fumaça e a poluição sonora emerge uma floresta… Cheia de sons, fases, defasagens, silêncios, vertigens e matérias, essa floresta sureal ensina e aprende. Ensina meios categóricos de sustentabilidade criativa, pró-ativa e afirmativa. Aprende com as contradições explícitas da globalização e seus meios dominadores e denomidadores. Denominadores incomuns de um tempo ímpar de velocidade estonteante. Não entremos na velocidade hegemônica, mas ensinemos tempos-outros, isto é, maneiras rítmicas de afirmação da existência. Entremos na floresta sonora, não exatamente para penetrar num tempo musical, mas para ingressar na periodicidade da afirmação cadente, capaz de dar novas dinâmicas rítmicas e novas resoluções para o presente, única realidade palpável. Surpreendendo, ousando, inventando modos de ser, pela música e para ela. Flutuemos nas vertentes aquáticas desta floresta sadia, soda ácida inebriante e úmida – música dos trópicos. Nesses dias cada vez mais quentes, meus músculos estão na mesma temperatura das idéias, isto é, aconchegando-se no ilimitado. Incendiemos a floresta e estaremos preservando.

Texto Felipe Cordeiro

Foto Renato ®eis

Imersão Conexão Vivo.

Mais um ano de parceria entre o Casarão Floresta e a Conexão Vivo, ano passado tivemos o prazer de circular com o Projeto Circuito Floresta Sonora, e esse ano vamos fazer a formatação dos disco produzidos aqui no estúdio pelo Caixa Casarão, cinco discos gravados e produzidos pela equipe (Metaleiras da Amazonia, Juca Culatra, Strobo, Tribo de Maiandeua e MG Calibre) e um DVD contando tudo que vem acontecendo nesses sete anos de Casaråo Cultural Floresta Sonora.

Então é isso muito trampo pela frente…  é nozes!

Foto: Renato Reis

Texto: Léo Chermont

Imersão FDE Norte

Planos para dominar o mundo…

Essa semana ta rolando imersåo Fora do Eixo Norte em Belem, especificamente no Casarão Floresta,  reunindo varios articuladores e entusiastas da cena artistica do estado, conceitos e opnioes sendo colocadas em mesa para um denominador geral a reverberacao artistica para a melhoria de seu habitat natural, esse sempre foi o objetivo da Equipe  Casarão, agora com novos aliados fica mais facil dominar o mundo, Vamo nessa !!

Em Outubro Festival Fora do Eixo Belém.

Tribo de Maiandeua.

Equipe Casarão Floresta na Tribo de Maiandeua com o Mestre Chico Braga – so Faltou o Juca Culatra.

Um lugar com seu próprio tempo e costume, livre das amarras da cidade. Aqui se come quando tem fome e se fala quando realmente precisa, lugar para aprender a cuidar do mundo e de sua essência, vida livre, dia longo e céu limpo, assim se faz a vida na Ilha de Maiandeua, lugar onde ninguém se preocupa com gasolina, comida e distancia aqui os pés guiam e a intuição faz a direção. Uma troca de experiência saudável que mostra  a maior fonte de riqueza dos seres humanos.

Equipe casarão floresta Sonora se reuniu para viver essa rotina e em 7 dias fez um registro sobre como a cultura de algodoal sobrevive e faz a vida da comunidade ter sentido, Fora das estações de feriados a vila volta ao seu próprio tempo desacelera quem chega e conecta com a natureza em instantes assim se faz a conexão.

Chegamos com a equipe conseguimos uma casa montamos um estúdio, fizemos um estudo como a comunidade funciona e começamos o trabalho, mais de 200 min de musicas registradas e mais de 100 GB de imagens para editar, em breve vamos lançar pelo selo Casarão um disco de Carimbó da Tribo de Maiandeua tendo como protagonista o Mestre Chico braga e um Doc sobre a comunidade e como o carimbo consegue dar a vida para os nativos.

Viva as pessoas que fazem arte pelo amor!!

Léo Chermont

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.